Orientações gerais | Coronavírus

  • Os ambientes devem estar ventilados com janelas e portas abertas

  • Evitar o uso de ar condicionado

  • Não realizar contato físico tais como aperto de mão, abraços e beijos entre funcionários e pacientes.

  • Não compartilhar materiais, como canetas, blocos e etc

  • Álcool gel deve estar disponível para todas as pessoas que circularem pelo ambiente

  • Evitar a aglomerações de pessoas – otimizar as agendas

  • Retire materiais expostos que tenham muita manipulação (revistas, canetas, blocos de notas), pois a manutenção do vírus se dá em superfície.

  • Orientar a limpeza para que todas as superfícies, como bancadas, cadeiras, maçanetas, corrimões etc, sejam higienizadas com álcool por diversas vezes ao dia.

  • Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc. Para a limpeza doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso da água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para desinfetar superfícies.

  • Limpeza dos equipamentos de ar-condicionado: manter limpos os componentes do sistema de climatização (bandejas, serpentinas, umidi­cadores, ventiladores e dutos).

  • Lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las.

  • A secretaria deve saber identificar paciente que apresente sintoma respiratórios, para que este quando estiver presente seja oferecido a máscara cirúrgica e tenha atendimento prioritário e que permaneça afastado dos demais pacientes em pelo menos 2 metros 

  • O funcionário que apresentar qualquer tipo de manifestação respiratória, tais como tosses e espirros frequentes, deve ser estimulado a ficar em casa.

  • Evitar reuniões que estimulem a proximidade das pessoas, optar por videoconferência ou outra abordagem

  • Estimular os trabalhos remotos (home office)

  • Alternar turnos dos trabalhadores para minimizar a quantidade de pessoas circulando no mesmo local

  • Não compartilhar copos, canudos, toalhas, talheres, alimentos, maquiagem e protetores labiais, canetas, celulares etc.

  • Desaconselhar o uso de bebedouros e caso seja impossível, não colocar os lábios no mesmo. Realizar a higienização do bebedouro com álcool 70% diversas vezes ao dia.

Em caso de Tosse

  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante. Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Também é necessário evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

  • Caso não haja lenço ou toalha de papel disponível, ao espirrar ou tossir é preferível cobrir o nariz e a boca o braço (“espirrar no cotovelo”).

  • Procurar atendimento médico quando os sintomas se intensificarem ou se os mesmos não cessarem

 

No uso de veículos

  • Intensificar a higienização dos veículos, controles dos veículos, volantes, alavancas etc.

  • Disponibilizar álcool gel 70% nos veículos e orientar os funcionários para a sua utilização.

  • Realizar a desinfecção interna dos veículos com pano seco e limpo embebido com álcool 70% por 20 segundos, ao término do turno de trabalho.

  • Limpar os equipamentos de ar-condicionado do veículo, mantendo limpos os componentes do sistema de climatização (serpentinas, umidi­cadores, ventiladores e dutos).

 

A epidemia é passageira e se todos seguirem as orientações corretas haverá um menor número de contaminação e consequentemente menor número de doentes. Faça a sua parte.

Prevenção

 

 

Sintomas

 

Os principais sintomas do covid-19 são febre, cansaço e tosse seca. Alguns diagnósticos também apresentaram dores no corpo, coriza, congestão nasal, confusão mental, dor de garganta e diarreia.

 

Recomendações para empresas

1. Orientar para prevenção


As medidas mais importantes para conter o coronavírus é a higienização frequente das mãos e cuidados ao tossir e espirrar. É importante que os empregadores estimulem esses hábitos por meio de campanhas internas e garantam acesso aos produtos adequados para higienizar as mãos (sabão ou antisséptico de mãos à base de álcool).

Equipes de medicina do trabalho e gestão de pessoas devem estar capacitadas para orientar e tirar dúvidas dos funcionários.

2. Cuidar das pessoas


Funcionários que apresentarem os sintomas de COVID-19 (como é chamada a doença provocada pelo novo coronavírus) devem ser orientados a procurar os serviços de saúde. Quem apresentar os sintomas e tiver histórico de viagem ou contato com algum caso suspeito ou confirmado deve ser enviado para casa imediatamente.

Para isso, é importante:


– Garantir políticas de licença médica flexíveis, sem exigir, por exemplo, atestado médico para funcionários ficarem em casa. Dessa forma se evita uma visita desnecessária a um serviço de saúde;
– Dar condições para que funcionários cuidem de familiares doentes;
– Em caso da confirmação de um caso de COVID-19 no ambiente de trabalho, o empregador deve procurar as autoridades de saúde e seguir o protocolo exigido para essas circunstâncias.

Todas essas políticas devem ser comunicadas de maneira transparente e clara a todos os colaboradores, sem expor o funcionário doente e preservando sua identidade. Uma alternativa é criar um canal com a área de Recursos Humanos que garanta a privacidade de eventuais pacientes.

3. Reduzir os impactos


As empresas devem estudar sua operação, entender quais aspectos de sua atividade podem ser afetados pela epidemia e quais atitudes podem ser adotadas para mitigar os efeitos.

Alguns exemplos:


– Criar condições tecnológicas para o trabalho remoto, realizar reuniões virtuais se for preciso, reduzir contato pessoal ou viagens de trabalho;
– Identificar fornecedores alternativos para não interromper o funcionamento da empresa.

4. Planejar


As empresas devem traçar cenários possíveis e delinear atitudes a serem adotadas, sempre pensando nas pessoas e na manutenção da operação da empresa. Devem receber atenção especial eventos planejados para os próximos meses e viagens de trabalho, programando alternativas que possam ser acionados, considerando as mudanças de cenário da doença no cenário local, nacional ou internacional.

Empresas que atendem consumidores direta e pessoalmente devem avaliar a segurança de suas instalações que recebem clientes a fim de evitar a propagação do vírus. Recomenda-se avaliar também as políticas para o eventual cancelamento das atividades fornecidas, como eventos e viagens.

É importante enfatizar que qualquer atitude deve ser adotada com base nas recomendações das autoridades de Saúde da sua cidade, Estado ou país.

5. Aprender


Cientistas em todo o mundo ainda investigam qual a gravidade da doença e analistas econômicos também ainda calculam qual o impacto do novo coronavírus para a atividade das empresas.

Seja quais forem as conclusões, é válido aproveitar o atual momento para tirar alguns aprendizados:


– Melhorar e avaliar políticas de trabalho de casa (ou remoto);
– Aprimorar a infraestrutura tecnológica para o trabalho remoto (equipamentos e sistemas para reuniões virtuais, ferramentas de colaboração, entre outros);
– Avaliar de maneira mais criteriosa as necessidades de viagem, aumentando a produtividade e reduzindo custos;
– Planejar-se com antecedência para cenários de crise que impactam a operação do negócio;
– Respeitar e seguir informações técnicas oficiais, fazendo consultas aos órgãos responsáveis diante de qualquer situação atípica que requeira orientação de um profissional da área.

Atenção: vacine-se contra a gripe

Os sintomas do coronavírus são idênticos aos da gripe, por isso, é hora de aproveitar a Campanha de Vacinação Contra a Gripe 2020 e evitar a superlotação de hospitais e postos de saúde.

 

Para mais informações sobre a vacina contra a gripe, entre em contato pelo (34) 3317-5200.

 

Entre em Contato
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Social Icon